“Feiticeiro da Calheta, vida e obra” na EB23 de Santo António

Exposição e palestra neste estabelecimento de ensino sobre esta figura emblemática da nossa região. 18-05-2017 Projeto Bau Leitura
 “Feiticeiro da Calheta, vida e obra” na EB23 de Santo António

A Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de Santo António divulgou à comunidade escolar uma exposição itinerante, designada “Feiticeiro da Calheta – 1.ª festa da vindima de 1938 e a origem do Bailinho da Madeira”. Trata-se de uma iniciativa coordenada por Eugénio Perregil e Paulo Ladeira.

Após a declamação de alguns versos do poeta popular madeirense, João Gomes de Sousa, por dois alunos do sexto ano, e de uma turma ter tocado e cantado “O Bailinho da Madeira”, o Dr. Paulo Ladeira explicou aos alunos e professores presentes, como surgiu a primeira Festa da Vindima que decorreu a 18 e 19 de setembro de 1938, no campo Almirante Reis, no Funchal. Nos dois dias de festa, no longínquo ano de 1938, decorreram várias exposições, foram feitos vários discursos, organizaram-se muitas barracas de «comes e bebes», assim como um cortejo de produtos agrícolas e de ranchos folclóricos.

Desejou-se, na época referida, promover o vinho Madeira. Todos, sem exceção, dos endinheirados às pessoas de menos recursos, colaboraram nesta festa, como até então nunca se tinha visto no Funchal.  Foi durante estes festejos que João Gomes de Sousa, o «Feiticeiro da Calheta» cantou, pela primeira vez, os versos e a melodia do «Bailinho», da sua autoria, a qual se tornou emblemática do folclore madeirense.

 

Notícia enviada pela dinamizadora Emília Jordão